top of page

Fabio Luis solicita informações sobre aplicação do Plano de Arborização

O vereador Fabio Luis (Republicanos) encaminhou ao IMAM (Instituto de Meio Ambiente de Dourados) uma solicitação de esclarecimentos a respeito da aplicação do Plano Diretor de Arborização Urbana (PDAU). Segundo o documento com recomendações técnicas à administração, cerca de 300 árvores na cidade estão mortas ou exigem extração imediata.


No final do ano passado, as chuvas registradas durante a primavera derrubaram dezenas de árvores pela cidade, provocando prejuízos ao patrimônio público e à população. Veículos, casas, escolas e prédios comerciais são alguns exemplos de danos resultado dessas ocorrências.


Além disso, o Centro da cidade ficou tomado por folhagem e madeira, que precisou ser acomodada nos canteiros para liberar o trânsito. Sem o serviço de limpeza urbana contratado, até hoje é possível identificar resíduos pelas ruas da região.


Fabio Luis acompanhou a elaboração do Plano de Arborização e acredita que com a devida aplicação, a administração passará a tratar o setor de forma preventiva, ao contrário do que ocorreu em administrações passadas.



“Precisamos olhar para a arborização de Dourados com um olhar técnico e responsável. Nossas árvores são bem mais que plantas decorativas, elas regulam o ar que respiramos e controlam a temperatura nos bairros, nas ruas. Dourados poderia ser muito melhor arborizada, se houvesse a devida manutenção, em caráter preventivo, a fim de tornar esses plantios mais saudáveis e duradouros. É preciso retirar o Plano de Arborização da gaveta o quanto antes”, afirma o parlamentar.


Nas solicitações encaminhadas ao IMAM, Fabio Luis pede informações sobre o cronograma para aplicações sugeridas no PDAU. O vereador também questiona sobre a capacidade de recursos financeiros e humanos para execução das propostas e por fim, solicita resposta sobre o que o órgão ambiental pretende fazer para resolver o problema de árvores já ‘condenadas’. Conforme o plano, pelo menos 300 estão mortas, infestadas ou exigem extração imediata por apresentarem riscos à população.


22 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page