top of page

“Perda milionária de recurso da saúde evidencia ineficiência”, critica Fabio Luis



Após Dourados perder mais de R$1 milhão em emendas para saúde pública, fruto do trabalho de deputados da bancada douradense na Assembleia Legislativa, o vereador Fabio Luis (Republicanos) avalia o fato como mais um indicador da ineficiência da atual administração.


A perda do recurso se deu em razão da falta de pagamento a impostos devidos à União, colocando o município em uma situação desfavorável, semelhante a uma espécie de "Serasa de maus pagadores". Essa situação compromete a capacidade do município de receber recursos estaduais e federais, afetando diretamente investimentos essenciais em saúde.


A Deputada Estadual Lia Nogueira (PSDB) alertou o município sobre a irregularidade, ressaltando que mais de R$ 640 mil provenientes de suas emendas individuais, somados aos recursos dos deputados Neno Razuk (PL), Gleice Jane (PT), Zé Teixeira (PSDB), que compõe a bancada douradense na Assembleia Legislativa, totalizavam mais de R$ 1 milhão para a segunda maior cidade do estado.


O montante destinado à saúde abrangeria mais de 24 Postos de Saúde e Unidades Básicas, incluindo distritos. Destaques incluíam um aporte de R$ 180 mil para a Clínica de Atendimento da Mulher (CAM) adquirir um moderno aparelho de ultrassom, e aproximadamente R$ 200 mil para o Pronto Atendimento Médico (PAM) adquirir um aparelho de Raio X, entre outras melhorias.


“É lamentável ver a nossa cidade, que tem o serviço de saúde já sufocado, perdendo recursos. E pior, perdendo recurso por falta de eficiência, de comprometimento com o cidadão. Gasta-se sem precedente em áreas não prioritárias, enquanto o que importa é deixado de lado”, criticou Fabio Luis.


O parlamentar endossou as manifestações da deputada Lia Nogueira, ressaltando que a irresponsabilidade fiscal do prefeito Alan Guedes terá repercussões graves na vida da população mais necessitada. “É inconcebível que um gestor municipal deixe de quitar suas obrigações financeiras, impactando diretamente a possibilidade de recursos que poderiam aliviar o sofrimento e até salvar vidas”, afirmou.

0 visualização0 comentário
bottom of page